sexta-feira, 24 de junho de 2011

A Última Flor

Texto: Tenessee Willians
Elenco: Gustavo Vieira, Marcella Silvieira, Patrícia Braz, Paula Braggion, Roanne Aragão e Sarah Galvano
Orientação: Ana Paula Demambro

Curto e fino, para definir em duas palavras o trabalho dos estreantes da turma 49 no primeiro exercício de interpretação deles.

Tenesee Wilians foi autor de leitura optativa nos meus primeiros semestres e eu não conhecia os textos que eles trabalharam: O quarto escuro e Um bonde chamado desejo. Apesar de já ter muito ouvido falar a respeito e lido outras duas obras dele que achei brilhantes: Essa propriedade está condenada e Fala comigo doce como a chuva.

Recebi uma flor daquela garotinha ainda antes de entrar na sala do espetáculo, ela cantava ao distribuir flores “Ha Ha Ha, minha machadinha”. Nos acomodamos na sala, deixando vazias as cadeiras negras. Descobrimos mais tarde que elas eram nada menos do que a coxia dos atores que não estivessem em cena.

"Quer uma flor?" - Foto: Ana Paula Lazari
E mesmo com eles ali ao nosso lado, era difícil desviar o foco da cena. E não pela obrigação do respeito que assistir um colega implica, mas pela qualidade do trabalho.

As histórias nos são contadas em fragmentos, mas são ricos e cheios de detalhes. Apesar de faltarem partes da história os “detalhes fazem a diferença” ouvi muito isso no semestre passado da professora Ana Paula. Sutilezas também. Eles tinham ambos.

De modo que os atores conseguem nos prender em suas ações até quando não estamos os vendo. As emoções chegam, e sim parece real, mesmo sendo diálogos carregados de palavras de outros tempos.

Os dois textos foram “misturados” de forma complementar um ajudava a amarrar a história do outro, mesmo cada história não fazendo parte da outra.

Assim como as cadeiras pretas, aquela flor em minhas mãos revelou-se também uma surpresa. Que não conto. Aliás, que surpresa boa foi ver esse trabalho! Foi a primeira vez que vi a turma que recepcionamos em cena.

Das surpresas que posso contar: cenário e figurinos belos e finos, sonoplastia envolvente e acertada, e iluminação (a que é possível de se fazer numa sala) brilhante. Tudo foi pensado e feito com capricho. E claro, a bela interpretação realista do pessoal.

E o melhor: posso indicar uma última apresentação para os meus leitores. O grupo se apresenta no Sesc de São Caetano no dia 28/06 às 20h. Vá e descubra! 

Foto: Ana Paula Lazari

Foto: Ana Paula Lazari


2 comentários:

  1. Obrigada pelas suas palvras Rodrigo,fico muito feliz de termos agradado pelo menos um de nossos padrinhos,espero que todos,beijo.

    ResponderExcluir
  2. Epa! Agradaram muitos, viu Roanne? Estou também muito orgulhosa de meus afilhados e quero só ver o que o futuro vos aguarda. ;D

    Parabéns pelo texto, Rodrigo! Como sempre, muito bom!

    ResponderExcluir

Atormenta aí!