quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Fragmentos Brasileiros


Meu contato com outros estudantes de teatro não se resume a conversas de corredor ou assistindo exercícios apenas da minha escola.

Durante minhas férias, fui prestigiar o trabalho desenvolvido pelos alunos da Escola de atores Wolf Maya. A peça Fragmentos Brasileiros foi dirigida por Marcelo Marcus Fonseca e o texto é de Celso Luiz Paulini.

A peça trata-se de uma boa aula de história brasileira, contada por uma professora vigorosa e ilustrada por personagens como D.Pedro II, Princesa Isabel, Mário de Andrade, entre outros. É uma comédia e ajuda sim a fixar momentos da nossa história na cabeça. Aliás, no dia seguinte, fiz uma prova de um concurso onde justamente só soube a responder uma questão com certeza por ter assistido ao espetáculo.

Gostei bastante do que vi. O Teatro Nair Belo tem uma estrutura excelente, o cenário era prático, os figurinos bonitos, a peça foi bem humorada na medida certa e os atores mostraram-se preparados para dar conta do recado (estão há seis meses de se formarem).

Ficou longa, e chega a cansar. Não tem como não notar a diferença entre a forma que o processo é conduzido nas escolas, no entanto não consigo ainda dizer o que há de diferente, mas eu consigo sentir uma energia diferente, enfim, divago, mas um dia concluo alguma coisa.

Afinal isso não faz diferença nenhuma, eu enxergo essas diferenças de forma muito positiva. Pois não é preciso que tudo seja igual e mais do mesmo. Só temos uma história tão rica que pode até ser recontada nos palcos justamente porque muitos pensamentos diferentes já passaram por aqui e muitos outros ainda virão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atormenta aí!