terça-feira, 4 de maio de 2010

Ga-Gago, eu?

E prometo que essa foi a única piada ruim do post (só há essa tentativa)

Enfim apresentei a cena que escrevi para a aula de Improvisação. O exercício era simples: defender uma idéia que diga a respeito de você, com duas personagens. Coloque em uma delas defendendo a sua idéia e a outra personagem contra-argumentando.

Na verdade quem apresentou foram os meus colegas dirigidos por mim. Na cena, eu defendi a nova lei anti-fumo porque cigarro é algo que sempre fui contra desde que me entendo por gente.


Por falar de vícios, me apontaram um problema grave meu: apesar de falar bem quando estou lendo, tenho texto decorado ou conversando sem compromisso, quando me perguntam “Rodrigo, o que você acha disso?”, na frente de mais de 5 pessoas eu tremo na base, começo a  gaguejar e parecer nervoso mesmo estando calmo.


E isso aconteceu após a apresentação da cena, quando fui explicar a escolha do tema para os meus colegas. E  já me acontecia desde a faculdade e já tinham me falado antes a respeito, logo, já passa da hora de mudar isso.

Já em História do Teatro, vimos o Romantismo e como surgiu essa idéia meio que distorcida que temos de Romance e também passamos pelo Realismo. Nessa aula, ouvi muitas coisas agradáveis das quais algumas frases tive a sorte de tomar nota. São frases que eu gostaria de ter dito espontaneamente e sem gaguejar em diversos momentos da minha vida:

Paixão Dói.
Realidade nenhuma vai pavimentar a minha sensação de vida.

Quando eu sou esquisito, as minhas intenções são boas.

Todos já fomos indefesos.

Se eu não tiver esperança, estarei desesperado.

Renuncio um monte de coisas apenas para ver o outro bem.

Você vai fazer o que é melhor para sua vida.

Um comentário:

  1. Perfecto!!!!!!! Como melhorar algo em nós que nos acompanha desde sempre...persistência, luta...e muita paixão!

    ResponderExcluir

Atormenta aí!